quinta-feira, maio 05, 2005

Existe vida após "O Amor"?

Você tem uma vida legal. Seus amigos são legais. Sua rotina é legal. Seu dinheiro dá pra você fazer as coisinhas que gosta e pagar as contas. Mas você quer mais. Você quer alguém pra dividir essa vidinha que você gosta. E você quer amar. Então vocês se conhecem. E se apaixonam. E namoram. E ficam mais apaixonados ainda. E namoram mais. E começam a se amar. E amar é bom. E você tem certeza de nunca amou assim em toda a sua vida. Ele é o amor da sua vida. Você é o amor da vida dele. E você quer passar o resto da sua vida amando desse jeito. Por que esse não é mais um amor. Esse é "O Amor", aquele que você procurou a vida inteira. E ele partilha da mesma opinião. E então vocês querem mais. E resolvem se casar. Porque se amam, claro. E então, toda a sua vida muda. Seus amigos mudam. Sua rotina muda. Suas despesas mudam. Suas responsabilidades mudam. Aquela vidinha despareceu. Você agora tem outra, que divide com alguém. E a vida é boa. O amor é bom. Mas o tempo passa. E vocês são diferentes. Têm pontos de vistas diferentes. Vontades diferentes. Amigos diferentes. Têm objetivos diferentes. E personalidades diferentes. E algumas brigas são inevitáveis. Mas vocês ainda têm o amor de vocês. E esse amor pode tudo. É maior que todos os pontos de vistas, que todas as vontades, que todos os amigos, que todos os objetivos, que qualquer personalidade forte. É maior que qualquer briga, por mais feia que ela seja. Mas de repente, no meio de tanta coisa, de tantos objetivos, de tantos pontos de vista, de tantas diferenças e brigas e egos, o amor já não parece tão grande. Já não parece tão bom. Já não parece suficiente. Parece pequenininho. Parece fraco, diluído. Não parece mais aquele amor que você tanto queria. Não parece mais ser "O Amor" que você tanto procurou. "O Amor" que você queria era diferente. E vocês deixam de querer. Não sem ficar com pena de tudo aquilo. Com pena de que aquilo, que era tão grande e tão bonito e tão suficiente, tenha se tornado tão pequeno e fraco e insípido. E vocês até tentam resgatar tudo aquilo. E sofrem por não conseguir. E sofrem por ter que desistir. E sofrem. E depois de tudo isso, como voltar para a sua vidinha? Como não mais dividir nada com ninguém? Como voltar a ter seus amigos, sua rotina, suas coisas? Existe vida após um amor? Existe vida após esse amor? Existe vida após "O Amor"? Existe vida? Foi tudo um engano?

4 comentários:

Anônimo disse...

Que texto maravilhoso! Muito tocante.
:)

A.G. disse...

Que verdades!

Tão profundo e tão simples...

A.G. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A.G. disse...

As verdades podem ser escritas e ficarem lá longe… mas por serem aquilo que são… VERDADES… ficam eternizadas no tempo… e os caminhos da vida são mesmo misteriosos e curiosos… seu coração chora… por alguém aqui em Lisboa… o meu definha igualmente no presente… e por saber, que sempre que aconteceu este momento de vida… gerindo saudavelmente a dor… aceitando… na esperança dos planos que a vida tem para mim… em todos os momentos… em todas as horas… e todos sabemos… seres sensitivos… o quanto se sofre e o quanto dói… tentando encontrar um equilíbrio entre o pensamento e a emoção… vendo todos os dias a dor dominar sua vida… e ao mesmo tempo ser dominada numa clara gestão pela vida…
Obrigado… pelo seu sinal de vida…